O sinal de Emanuel

1Quando Acaz - filho de Jotão e neto de Uzias - era rei de Judá, o rei Rezim - da Síria - e Peca - filho de Remalias, rei de Israel - atacaram Jerusalém, mas não puderam vencê-la.

2Informaram ao rei: "A Síria montou acampamento em Efraim". Com isso o coração de Acaz e do seu povo agitou-se, como as árvores da floresta agitam-se com o vento.

3Então o Senhor disse a Isaías: "Saia e leve seu filho Sear-Jasube. Vá encontrar-se com Acaz no final do aqueduto do açude Superior, na estrada que vai para o campo do Lavandeiro.

4Diga a ele: Tenha cuidado, acalme-se e não tenha medo. Que o seu coração não desanime por causa do furor destes restos de lenha fumegantes: Rezim, a Síria e o filho de Remalias.

5"Porque a Síria, Efraim e o filho de Remalias têm tramado a sua ruína, dizendo:

6'Vamos invadir o reino de Judá; vamos rasgá-lo e dividi-lo entre nós, e fazer o filho de Tabeel reinar sobre ele' ".

7Assim diz o Soberano, o Senhor:
"Não será assim,
isso não acontecerá,

8pois a cabeça da Síria é Damasco,
e a cabeça de Damasco é Rezim.
Em sessenta e cinco anos
Efraim ficará muito arruinado
para ser um povo.

9A cabeça de Efraim é Samaria,
e a cabeça de Samaria
é o filho de Remalias.
Se vocês não ficarem firmes na fé,
com certeza não resistirão!"

10Disse ainda o Senhor a Acaz:

11"Peça ao Senhor, ao seu Deus, um sinal milagroso, seja das maiores profundezas, seja das alturas mais elevadas".

12Mas Acaz disse: "Não pedirei; não porei o Senhor à prova".

13Disse então Isaías: "Ouçam agora, descendentes de Davi! Não basta abusarem da paciência dos homens? Também vão abusar da paciência do meu Deus?

14Por isso o Senhor mesmo dará a vocês um sinal: a virgem ficará grávida, dará à luz um filho e o chamará Emanuel.

15Ele comerá coalhada e mel até a idade em que saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo.

16Mas, antes que o menino saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo, a terra dos dois reis que você teme ficará deserta.

17O Senhor trará o rei da Assíria sobre você e sobre o seu povo e sobre a descendência de seu pai. Serão dias como nunca houve, desde que Efraim se separou de Judá".

18Naquele dia, o Senhor assobiará para chamar as moscas dos distantes rios do Egito e as abelhas da Assíria.

19Todas virão e pousa­rão nos vales íngremes e nas fendas das ro­chas, em todos os espinheiros e em todas as cisternas.

20Naquele dia, o Senhor utilizará uma navalha alugada de além do Eufrates, o rei da Assíria, para rapar a sua cabeça e os pelos de suas pernas e da sua barba.

21Naquele dia, o homem que tiver uma vaca e duas cabras

22terá coalhada para comer, graças à fartura de leite que elas darão. Todos os que ficarem na terra comerão coalhada e mel.

23Naquele dia, todo lugar onde havia mil videiras no valor de doze quilos de prata será deixado para as roseiras bravas e para os espinheiros.

24Os homens entrarão ali com arcos e flechas, pois todo o país estará coberto de roseiras bravas e de espinheiros.

25E às colinas antes lavra­das com enxada você não irá mais, porque terá medo das roseiras bravas e dos espinhei­ros; nesses lugares os bois ficarão à solta e as ovelhas correrão livremente.

1  2  3  4  5  6  

7  8  9  10  11  12 

13  14  15  16  17  

18  19  20  21  22  

23  24  25  26  27 

28  29  30  31  32  

33  34  35  36  37 

38  39  40  41  42 

43  44  45  46  47 

48  49  50  51  52  

53  54  55  56  57 

58  59  60  61  62 

63  64  65  66