Os delegados de Babilónia

1Naquela época, Merodaque-Baladã, filho de Baladã, rei da Babilônia, enviou a Ezequias cartas e um presente, porque soubera de sua doença e de sua recuperação.

2Ezequias recebeu com alegria os enviados e mostrou-lhes o que havia em seus depósitos: a prata, o ouro, as especiarias, o óleo fino, todo o seu arsenal e tudo o que se encontrava em seus tesouros. Não houve nada em seu palácio ou em todo o seu reino que Ezequias não lhes mostrasse.

3Então o profeta Isaías foi ao rei Ezequias e perguntou: "O que aqueles homens disse­ram, e de onde vieram?"
"De uma terra distante", Ezequias res­pondeu. "Eles vieram da Babilônia para visitar-me."

4O profeta perguntou: "O que eles viram em seu palácio?"
Ezequias respondeu: "Viram tudo o que há em meu palácio. Não há nada em meus tesouros que não lhes tenha mostrado".

5Então Isaías disse a Ezequias: "Ouça a palavra do Senhor dos Exércitos:

6'Um dia, tudo o que há em seu palácio, bem como tudo o que os seus antepassados acumularam até hoje, será levado para a Babilônia. Nada ficará', diz o Senhor.

7'E alguns de seus próprios descenden­tes serão levados e se tornarão eunucos no palácio do rei da Babilônia' ".

8"É boa a palavra do Senhor que você falou", Ezequias respondeu. Pois pensou: "Haverá paz e segurança enquanto eu viver".

1  2  3  4  5  6  

7  8  9  10  11  12 

13  14  15  16  17  

18  19  20  21  22  

23  24  25  26  27 

28  29  30  31  32  

33  34  35  36  37 

38  39  40  41  42 

43  44  45  46  47 

48  49  50  51  52  

53  54  55  56  57 

58  59  60  61  62 

63  64  65  66