Moisés faz sair água do rochedo

1No primeiro mês toda a comunidade de Israel chegou ao deserto de Zim e ficou em Cades. Ali Miriã morreu e foi sepultada.

2Não havia água para a comunidade, e o povo se juntou contra Moisés e contra Arão.

3Discutiram com Moisés e disseram: "Quem dera tivéssemos morrido quando os nossos irmãos caíram mortos perante o Senhor!

4Por que vocês trouxeram a assembleia do Senhor a este deserto, para que nós e os nossos rebanhos morrêssemos aqui?

5Por que vocês nos tiraram do Egito e nos trouxeram para este lugar terrível? Aqui não há cereal, nem figos, nem uvas, nem romãs, nem água para beber!"

6Moisés e Arão saíram de diante da assembleia para a entrada da Tenda do Encontro e se prostraram com o rosto em terra, e a glória do Senhor lhes apareceu.

7E o Senhor disse a Moisés:

8"Pegue a vara, e com o seu irmão Arão reúna a comunidade e diante desta fale àquela rocha, e ela verterá água. Vocês tirarão água da rocha para a comunidade e os rebanhos beberem".

9Então Moisés pegou a vara que estava diante do Senhor, como este lhe havia ordenado.

10Moisés e Arão reuniram a assembleia em frente da rocha, e Moisés disse: "Escutem, rebeldes, será que teremos que tirar água desta rocha para dar a vocês?"

11Então Moisés ergueu o braço e bateu na rocha duas vezes com a vara. Jorrou água, e a comunidade e os rebanhos beberam.

12O Senhor, porém, disse a Moisés e a Arão: "Como vocês não confiaram em mim para honrar minha santidade à vista dos israelitas, vocês não conduzirão esta comunidade para a terra que dou a vocês".

13Essas foram as águas de Meribá, onde os israelitas discutiram com o Senhor e onde ele manifestou sua santidade entre eles.

O rei de Edom nega passagem aos israelitas

14De Cades, Moisés enviou mensageiros ao rei de Edom, dizendo:
"Assim diz o teu irmão Israel: Tu sabes de todas as dificuldades que vieram sobre nós.
"Agora estamos em Cades, cidade na fronteira do teu território.

15Os nossos antepassados desceram para o Egito, e ali vivemos durante muitos anos. Os egípcios, porém, nos maltrataram, como também a eles,

16mas, quando clamamos ao Senhor, ele ouviu o nosso clamor, enviou um anjo e nos tirou do Egito.

17Deixa-nos atravessar a tua terra. Não passaremos por nenhuma plantação ou vinha, nem beberemos água de poço algum. Passaremos pela estrada do rei e não nos desviaremos nem para a direita nem para a esquerda, até que tenhamos atravessado o teu território".

18Mas Edom respondeu:
"Vocês não poderão passar por aqui; se tentarem, nós os atacaremos com a espada".

19E os israelitas disseram:
"Iremos pela estrada principal; se nós e os nossos rebanhos bebermos de tua água, pagaremos por ela. Queremos apenas atravessar a pé, e nada mais".

20Mas Edom insistiu:
"Vocês não poderão atravessar".
Então Edom os atacou com um exército grande e poderoso.

21Visto que Edom se recusou a deixá-los atravessar o seu território, Israel desviou-se dele.

22Toda a comunidade israelita partiu de Cades e chegou ao monte Hor.

A morte de Arão

23Naquele monte, perto da fronteira de Edom, o Senhor disse a Moisés e a Arão:

24"Arão será reunido aos seus antepassados. Não entrará na terra que dou aos israelitas, porque vocês dois se rebelaram contra a minha ordem junto às águas de Meribá.

25Leve Arão e seu filho Eleazar para o alto do monte Hor.

26Tire as vestes de Arão e coloque-as em seu filho Eleazar, pois Arão será reunido aos seus antepassados; ele morrerá ali".

27Moisés fez conforme o Senhor ordenou; subiram o monte Hor à vista de toda a comunidade.

28Moisés tirou as vestes de Arão e as colocou em seu filho Eleazar. E Arão morreu no alto do monte. Depois disso, Moisés e Eleazar desceram do monte,

29e, quando toda a comunidade soube que Arão tinha morrido, toda a nação de Israel pranteou por ele durante trinta dias.


1     3   4     5 

6     8   9    10 

11   12   13   14  

15   16   17   18 

19   20   21   22  

23   24   25   26 

27   28   29   30 

31   32   33   34 

35   36